Validação do aplicativo serão selecionadas

Aplicativo de celular promete melhorar a diagnose, monitoramento e manejo do cancro europeu da macieira em pomares no sul do Brasil

Diante desta necessidade a Epagri e IFSC estabeleceram uma parceria para desenvolver um aplicativo para celulares e um site para melhorar a diagnose


Diante da rápida disseminação do cancro europeu da macieira (CEM) causado por Neonectria ditissima no Brasil, atualmente é urgente a necessidade de desenvolvimento de pesquisas que minimizem o avanço da doença nos pomares da serra catarinense. O desenvolvimento de tecnologias que auxiliem no diagnóstico do CEM em seu estágio inicial é de fundamental importância porque possibilita que plantas sejam tratadas ou erradicadas antes que a doença seja disseminada para outros pomares e mesmo outros estados. Diante desta necessidade a Epagri e IFSC estabeleceram uma parceria para desenvolver um aplicativo para celulares e um site para melhorar a diagnose, monitoramento e manejo do CEM nos pomares. Este projeto está em andamento e em breve será disponibilizada uma versão teste para celulares que utilizem o sistema Android para técnicos e fruticultores. A partir desta primeira versão serão realizados vários testes unitários e de integração dos sistemas com grupos selecionados de fruticultores e técnicos para identificar possíveis melhorias para os mesmos, as quais serão implementadas na sequência, gerando a versão final do sistema.

Atualmente uma das possíveis explicações para a rápida disseminação do CEM na serra catarinense é a demora dos fruticultores em identificarem os sintomas da doença nos pomares e rapidamente adotarem as práticas de manejo listadas na IN20. Pensando em melhorar este processo neste aplicativo serão disponibilizados textos explicativos e vídeos, bem como fotos sobre etiologia do fungo, sintomatologia, manejo do CEM e outros.  Outra inovação desta tecnologia será o módulo de monitoramento, que permite que o fruticultor faça registros com o celular de possíveis ramos com sintomas do CEM. Através do aplicativo estas fotos serão enviadas para análise dos fitopatologistas da EPAGRI-EESJ. Posteriormente estas imagens serão analisadas e o resultado do diagnóstico poderá ser: positivo, quando é possível identificar, por meio das fotos os sintomas do CEM; negativo, quando é possível descartar o CEM, com base nas imagens enviadas; ou indefinido, quando não é possível concluir o diagnóstico a partir das fotos.

Neste caso, o fruticultor receberá uma notificação que deve procurar a Clínica Fitopatológica da EPAGRI-EESJ para realização de mais análises. As fotos realizadas pelo aplicativo registrarão dados de coordenadas geográficas dos pomares que poderão ser utilizados para acompanhamento da progressão da doença e determinação dos casos positivos do CEM no estado. Por último, para validação do aplicativo serão selecionadas 10 pessoas com experiência de campo em pomares de macieira para identificarem possíveis sintomas de cancro como positivo e negativo. Inicialmente esta identificação será utilizada sem o auxílio do aplicativo e, após sete dias, com o auxílio desta tecnologia. A acurácia e a precisão de cada avaliador serão determinadas por meio de regressão linear simples e publicadas em uma revista cientifica. No final do primeiro semestre de 2021 pretendemos também disponibilizar uma versão para dispositivos com o sistema IOS.  Na figura abaixo apresentamos algumas funcionalidades comentadas que estarão disponíveis para técnicos e fruticultores no aplicativo. Esperasse com este aplicativo atingir um grande número de usuários e assim auxiliar na contenção do avanço do CEM nos pomares no Sul do Brasil. Leonardo Araujo1, Felipe Augusto Moretti Ferreira Pinto1, Wilson Castello Branco Neto2 1Eng. Agrônomo, Dr., Laboratório de Fitopatologia, Epagri/EESJ, São Joaquim-SC, fone: 49-3233-8438, e-mail: [email protected], [email protected]; 2 Bacharel em Ciência da Computação, Dr., Instituto Federal de Santa Catarina, IFSC-Lages, Lages-SC, fone: 49-3221-4256, e-mail: [email protected]

 

 

Comments